A questão do capitão

Já se começa a tornar um hábito em cada inicio de época discutir quem deve ou não deve constar no lote de capitães da nossa equipa principal. O ano passado esta questão levantou bastante polémica, devido à saída de um jogador que era considerado um símbolo e o capitão do Sporting. Este ano os temas mantêm-se quente, mas não tanto. Tudo isto porque, no último sábado, Carriço ao sair entregou a braçadeira a João Pereira, o que causou algum desconforto em muitos adeptos leoninos (onde me incluo).

Não obstante ao empenho e dedicação com que defende o nosso emblema, a vida de um jogador não é só o clube que representa, mas também todos os clubes que defendeu. João Pereira é um caso destes. Formado no Benfica, sempre o vi como uma figura asquerosa, daqueles que me metiam nojo, com todas as letras. Ele leva o futebol muito a sério, mas há atitudes que não me esqueço que ele teve contra o Sporting. Quem não se lembra do jogo em que simulou uma agressão, que causou a expulsão de Hugo Viana? Pois, eu não tenho memória curta e, desculpa-me João, és um dos jogadores que mais admiro no plantel, mas capitão do meu Sporting, não.

Bem, dentro do actual plantel existem vários jogadores com perfil de liderança: Patricio, Tiago, Carriço, Onyewu, Rinaudo, Schaars, André Santos, Polga e Izmailov. Ponto assente, e deixo já aqui bem claro, para ser capitão defendo que tenha pelo menos representado o nosso clube durante dois anos, que exclui as hipóteses Onyewu, Schaars e Rinaudo.

Por outro lado, e como bom português, gosto que o nosso capitão seja de nacionalidade portuguesa. Podem-me acusar de discriminação, mas isto é algo que nasceu comigo e que não posso mudar. Contudo, e caso haja um estrangeiro com um perfil certo para capitão e que cumpra os requisitos atrás mencionados, não me oponho, aliás, é algo que mais dias menos dias vai acabar por acontecer. Mas tendo em conta as opções do actual plantel, se fosse eu a mandar Polga e Izmailov não estariam no lote de capitães.

Sobram Patricio, Tiago, Carriço e André Santos. Todos formados no Sporting, todos portugueses. Sempre defendi que uma equipa deve ter quatro capitães, o que neste caso era facilmente adequado. Seguindo a lógica do último ano, Carriço será o capitão, facto com o qual concordo por inteiro. Para sub-capitão escolhia Patricio, em detrimento de Tiago, porquê? Quantos jogos vai o Tiago competir esta época? Seria estar a queimar uma opção, acho eu. Outra coisa que defendo é que os capitães têm de ser jogadores que joguem frequentemente. Assumo que Tiago é actualmente um símbolo do nosso clube, mas acho que não é preciso ser capitão para ser ouvido/respeitado. Por último André Santos, o meu jogador de eleição. Não vai ter um ano fácil, fruto da concorrência que chegou, mas tenho plena consciência que vai ser uma opção regular.

Resumindo, se fosse eu a mandar, os capitães seriam (por esta ordem):

Daniel Carriço

Rui Patricio

André Santos

Tiago

Comentários

Anónimo disse…
Concordo com o facto de o capitão ter de ser português, e que tenha uma história no clube. Como Mourinho também não creio que o GR deva ser o
primeiro capitão. E acho que Carriço devia continuar no grupo de capitães.

Na minha opinião seria então:

1º Djaló
2º Carriço
3º Rui Patricio
4º André Santos
CarlosMeira disse…
desde q tenha perfil pra ser um otimo capitao e ajude o Sporting a vencer, nao me importa se eh tuga ou estranja, sorry
Anónimo disse…
dajló? a capitao nunca na vida lol


capitão do sporting mesmo deveria esse o polga, esse sim dedicou sua carreira futebolista pelo sporting, além de já ser um simbolo do clube