Grupo E : Análise



Holanda – Está a ser a equipa que melhor futebol tem praticado neste Mundial. A jogar num 4x2x3x1, os atacantes (muito móveis) fazem trocas de bola muito rápidas, o que dificulta a tarefa da equipa adversária. A Holanda deu-se ao luxo de vencer os dois primeiros jogos sem contar com a sua principal estrela: Robben. Destaque para o jovem Elia;

Camarões – O conflito gerado entre Etoo e Le Guen prejudicou em muito o clima de estabilidade da selecção camaronesa. À partida, lutaria com a Dinamarca para passar à fase seguinte, o que não aconteceu. Abandona o Mundial com três derrotas e com três más exibições. Destaque para Ekotto;

Dinamarca – De regresso a Mundiais (não estiveram em 2006) e depois de terem ficado à frente de Portugal na fase de qualificação, os dinamarqueses chegaram a este Mundial com o objectivo de chegar pelo menos aos oitavos. Não conseguiram. Tinham de vencer no último jogo para passar, e depois de uma exibição muito fraca foram eliminados. O melhor jogador foi Bendtner;

Japão – Não acalentava muitas esperanças em passar aos oitavos e os jogadores partiram para os jogos sem pressão. Ainda bem, diga-se. Praticaram um futebol alegre, rápido e preciso e aproveitaram da melhor maneira os lances de bola parada. Uma das surpresas deste Mundial, na minha perspectiva. Destaque para Honda.

Resultados:

Holanda 2 – 0 Dinamarca (Agger e Kuyt)

Japão 1 – 0 Camarões (Honda)

Holanda 1 – 0 Japão (Sneijder)

Camarões 1 – 2 Dinamarca (Etoo; Bendtner e Rommedahl)

Dinamarca 1 – 3 Japão (Tomasson; Honda, Endo e Okazaki)

Camarões 1 – 2 Holanda (Etoo; Van Persie e Huntelaar)

Classificação Final:
1º Holanda – 9 Pontos
2º Japão – 6 Pontos
3º Dinamarca – 3 Pontos
4º Camarões – 0 Pontos

Comentários