Grupo F : Análise



Itália – Quase que passava de novo aos oitavos com três empates, mas desta vez as contas saíram furadas. A derrota frente à Eslováquia ditou o afastamento dos ainda campeões mundiais, depois de uma procura desenfreada dos jogadores italianos pelo golo que lhes desse o apuramento. Surpresa? Para quem viu os jogos italianos não… Destaque para o grande golo de Quagliarella;

Paraguai – Neste Mundial as equipa sul-americanas têm sido as que têm praticado melhor futebol, e o Paraguai não foge à regra. Transições rápidas e lances de bola parada têm sido os pontos fortes desta selecção. Destaque para Riveros e Santa Cruz;

Eslováquia – Depois de ter deixado a República Checa para trás durante o apuramento, os eslovacos tinham boas possibilidades de passar à fase seguinte, o que se veio a verificar. A vitória frente à Itália só veio acrescentar a ideia que o futebol eslovaco está a subir de nível. O grande destaque desta selecção é Vittek, pelos três golos que apontou;

Nova Zelândia – Teoricamente seria a selecção mais fraca do grupo. Porém ficou em terceiro lugar (à frente da Itália) com três empates. Pode orgulhar-se de não ter perdido nenhum jogo neste Mundial. Praticam um futebol sem ideias e só nos 15 minutos finais do último jogo é que atacaram à procura de um golo que lhes desse o apuramento. Tem um colectivo que se superioriza às individualidades.

Resultados:

Itália 1 – 1 Paraguai (De Rossi; Alcaraz)

Nova Zelândia 1 – 1 Eslováquia (Reid; Vittek)

Eslováquia 0 – 2 Paraguai (Vera e Riveros)

Itália 1 – 1 Nova Zelândia (Iaquinta; Smeltz)

Eslováquia 3 – 2 Itália (Vittek (2) e Kopunek; Di Natale e Quagiarella)

Classificação Final:
1º Paraguai – 5 Pontos
2º Eslováquia – 4 Pontos
3º Nova Zelândia – 3 Pontos
4º Itália – 2 Pontos

Comentários