Vitória pela margem minima contra o Paços


A festa da taça está de volta, desta vez com o Sporting a receber o Paços de Ferreira em Alvalade num jogo em que apenas 9000 adeptos(!) se deslocaram ao Estádio José Alvalade.Numa noite chuvosa, o jogo foi tal e qual como o tempo, um pouco frio e nada agradavel de ver, pois o Paços de Ferreira tal como era de esperar, jogou sempre com 11 jogadores á defesa.De notar na primeira parte apenas um remate de André Santos a barra da baliza de Cássio, e claro, o golo de Yannick Djálo, numa jogada em que Postiga foi preponderante pois arrastou a defesa do Paços de maneira a dar espaço para Djálo rematar, e com a ajuda do defesa do Paços que ainda dá um toque na bola, fazer o golo.Na segunda parte, notou-se uma mudança da atitude dos jogadores do Paços com um fluxo ofensivo maior(aliás, qualquer fluxo seria maior pois na primeira parte o Paços simplesmente não existiu ofensivamente).Com Carriço e Anderson Polga muito seguros na defesa, o Paços viu todas as suas tentativas de chegar ao golo frustradas.Mesmo assim, sobrou tempo para um enorme susto quando ao minutos 92 do jogo o Paços só não marcou na sua verdadeira oportunidade de perigo pois Maykon naõ teve técnica para meter a bola nas malhas da rede de Rui Patrício.

Analise Individual(1 a 10):

Rui Patrício(6)-Sem muito que fazer, excepto nos lances de bola parada em que se mostrou seguro.
Polga(6)-Jogo seguro do mais experiente jogador em campo.
Carriço(7)-Esteve bem a comandar as "tropas" e sólido na retaguarda.
Evaldo(5)-Não participou de forma intensiva no jogo, á excepção dos típicos cruzamentos.
João Pereira(6)-Sempre bem nas arrancadas mas não tão bem nos cruzamentos.
André Santos(6)-Jogo fácil para um jogador como ele, apenas falhou na ultima jogada do jogo.
Pedro Mendes(6)-Voltou a assustar com a história das lesões, mas fez um jogo bem conseguido.
Valdés(6)-Bem nas diagonais para o centro do campo, faltou mais desinibição e pontaria.
Yannick Djálo(6)-Sinceramente não fez mais que o golo.Mesmo assim salvou-nos de certa forma.
Postiga(5)-Onde esteve hoje o Postiga que actua frente a Espanha?Para a próxima corre melhor.
Liedson(4)-Já não tem a influencia de antigamente.Apagado é a melhor palavra para ele.
Vukcevic(5)-Consegue sempre desequilibrar com os seus dribles e peripécias.
Diogo Salomão(4)-Entrou no jogo para desequilibrar, mas acabou por não o fazer.
Saleiro-Entrou para queimar tempo.

Comentários

Mario Lopes disse…
Que susto no fim do jogo!
Tava a ver que iam lá uma vez e marcavam, algo que não seria novo.
Anónimo disse…
O mais importante foi conseguido e é só o que tenho a dizer

SL
Anónimo disse…
Quanto à apreciação que o companheiro faz do jogo do SCP e aos jogadores apenas um reparo...
Liedson veio de uma paragem por lesão muito significativa, já não tem 20 anos e vem aí o fcp onde os seus incomparáveis préstimos são evidentes. Apagado ou acabado são adjectivos que de todo, ainda não assentam em Liedson. O jogo da frente foi monopolizado por Postiga e Yannick, Liedson, não teve jogo, mas foi vê-lo, incansável em manobras cá atrás, ajudando o colectivo, bem ao seu estilo abnegado. Repito: Liedson não está acabado! Está muito longe disso!
SCP SEMPRE!
Rictemple
Nuno disse…
Também concordo com o anónimo! Liedson está longe de acabado, neste nosso Portugal é habito metermos logo jogadores na prateleira e andar a jogar com crianças! e está à vista! Liedson é um exemplo.

Mais:

É uma vergonha o que jogam! Uma miséria! e diga-se antes de um clássico havia a tal desculpa: "epá estão a descansar", pois é um facto, mas é assim todos os fins de semana! Portanto demagogia barata, já não pega. Cabeça de cotonete e o seu palito e quiçá o forcado... RUA!

Esta direcção devia ter vergonha do clube que está a transformar.

Por mim, RUA FDP!!

Sporting Grande! SP

Abraço

Nuno