Um olhar sobre a partida (actualizado)


Na frente da eliminatória, o Sporting entrou em Manchester num estilo semelhante ao de Alvalade: segurança defensiva, bom planeamento de distribuição táctica e contra-ataques, embora rápidos, organizados. Numa primeira parte de alto nível, o Sporting chegou a vencer por 2-0 no intervalo da partida, em pleno Ethiad Stadium! Durante essa pausa, comentei com quem estava próximo de mim que ainda não tinhas a passagem assegurada, os ingleses são os mestres do futebol e bastava um golo para relançar a eliminatória. Dito e feito! Desde a saída de Matias e Capel que o Sporting perdeu o norte, o Manchester City conseguia encontrar espaço entre linhas e aproveitou isso para dar a volta à partida. Aos 82 minutos bastava um golo aos ingleses para colocar o Sporting fora da competição. Pensei para mim mesmo “já fomos”, o Sporting era uma equipa desorganizada a nível emocional e táctico, mas a sorte (e a mão do Patrício) e a ineficácia blue possibilitaram um apuramento histórico do Sporting para os quartos-de-final da Liga Europa. Uma eliminatória épica, antes do primeiro jogo íamos ser humilhados, no intervalo da eliminatória íamos ser trucidados em Manchester, no final… fomos apurados!


Sinal +


MVP: Matias Fernandez _ foi brilhante na 1ª mão, na 2ª brilhante foi. Enquanto teve pernas foi o elo de ligação entre a defesa e o ataque, saindo muitas vezes com a bola nos pés para o meio-campo adversário. Grande golo e em clara ascensão exibicional, a este nível é do melhor do campeonato português. A diferença que faz ter liberdade em campo e um treinador que acredite em nós e nos dê confiança.

Pereirinha _ ganhou raça e vontade desde a entrada de Sá Pinto, porque a qualidade técnica e táctica esteve sempre lá. Cumpriu com nota positiva a sua função (é na minha opinião a defesa-direito que pode fazer carreira no Sporting), tendo mesmo jogado os últimos 15 minutos com o ombro deslocado, numa altura em que Sá Pinto não tinha mais substituições. De Leão!

Insua _ a locomotiva argentina parece estar de volta, depois de alguns jogos de menor fulgor. A defender e a atacar raramente errou, secou Aguero enquanto o City teve três homens no ataque e esteve muito próximo de marcar depois de uma brilhante jogada individual.

Patrício _ de contestado a ídolo, Patrício é nesta altura um guarda-redes de nível mundial. Aquela defesa no último segundo é instintiva, só ao alcance de predestinados.

Adeptos _ cheguei a pensar que estávamos em Alvalade, tal o intenso apoio dado à equipa. Leões de toda a Europa foram dar uma forcinha ao leões de campo, sendo que, no final, não se notava tal distinção. E na chegada ao aeroporto, que invasão!


Sinal –


Carrillo _ displicente, entrou para segurar a bola e arrancar sozinho. Não fez uma coisa nem outra, tendo mesmo tido algumas perdas de bola que podiam ter sido comprometedoras. Um jovem ainda com muito trabalho pela frente. É verdade que é um bom jogador, mas até ser um enorme jogador tem de ganhar muita coisa. Uma delas é o reconhecimento dos adeptos…

Renato Neto _ tal como Carrillo, não teve uma entrada positiva na partida, tendo cometido uma grande penalidade (que não era) fruto de uma entrada pouco pensada e estúpida. Tem também muito a aprender, mas são nas respostas (em termos exibicionais) que se dão após estas partidas de menor rendimento que se revela a atitude e vontade destes jovens jogadores. Ao Renato e ao Carrilo, estaremos convosco, acreditem e tudo será possível.


Comentários

Ivan disse…
o Carrillo ja e 1 grande jogador ainda lhe falta algo mais para ser craque porque tem potencial o resto estou contigo excelente analise e continuem com o bom trabalho.