Um olhar sobre a partida


O Sporting partiu para a Ucrânia com um resultado perigoso, apesar de ter vencido em casa , um golo sofrido nos descontos relançou a eliminatória e levantou a moral à equipa ucraniana. Esperava-se hoje um Sporting pragmático, à espera do adversário e apostado em resolver a eliminatória em lances de contra-ataque, sendo que a profundidade dada por Capel e João Pereira seria essencial no desfecho da partida. O Metalist desde cedo que impôs o ritmo que quis no jogo, apesar de não incomodar verdadeiramente o Sporting. Aproveitando o espaço entre os centrais e o trinco, principalmente Taison criou várias jogadas de perigo, sendo que numa delas apenas Patrício conseguiu evitar um golo praticamente feito. A toada não mudou, um Sporting desligado (com claras dificuldades em pegar no jogo e circular a bola, insistindo nas bolas no espaço para Wolfswinkel) contra um Metalist com ideias insuficientes para incomodar os leões. Contudo, no final da 1ª parte, após um excelente centro de Capel, Wolfswinkel enganou o central adversário e cabeceou com mestria para o fundo das redes, num golo à Jardel! Na segunda parte os ucranianos bem tentaram mas, para além do penalty (mal assinalado) e do golo (clara falha defensiva) não mereciam sair da eliminatória de outra forma. O Sporting qualifica-se mais uma vez com sofrimento (ainda que tenha sido menor desta vez), está nas meias-finais e irá encontrar o Bilbao, comandado (na minha opinião) por um treinador de TOP 5 mundial.


Sinal +


MVP: Rui Patrício _ tem sido enorme ao longo da temporada, e se o Sporting ainda está na Liga Europa tudo deve ao seu guardião. Hoje voltou a salvar a equipa por várias vezes, o penalty que defende, tendo em conta o momento e a responsabilidade, só está ao alcance de verdadeiros campeões. Queres um milhão de ordenado? Só?

André Martins _ era o mais jovem em campo, mas a forma como assumia o jogo, preenchia os espaços e transportava a bola para a frente foi digna de um jogador de Top. Tentou a meia distância mas não foi feliz. Acabou substituído numa altura em que o Sporting só defendia, mas podia ter sido útil nas transições no final da partida. Aquela camisola 28 parece estar mesmo destinada a grandes jogadores (Moutinho é um grande jogador, apesar de tudo).

Wolfswinkel _ correu em prol da equipa e na única oportunidade que teve marcou, “à goleador”! Às vezes parece um pouco trapalhão (tem grandes dificuldades em depois de receber manter a bola jogável) e lento, mas o que se pede a um avançado é que marque, e nisso cumpriu.


Sinal –


Polga/Xandão _ erraram várias vezes e podiam ter comprometido a passagem às meias. Ainda que tenha sido por um erro de Polga, no golo dos ucranianos Xandão estava completamente desconcentrado, tendo dado todo o espaço do mundo ao marcador do golo. Apesar de tudo, em grandes períodos do jogo estiveram bem em não dar espaço para virar aos avançados, tendo Xandão um melhor desempenho que o seu colega de sector, algo que já vai sendo habitual. De realçar a capacidade em sair a jogar de Xandão.

Izmailov _ passou completamente ao logo do jogo. O relvado não ajudou a mostrar o seu futebol (essencialmente técnico), falhou passes fáceis e raramente ofereceu soluções ofensivas. Algo desgastado.

Renato Neto _ entrou desorientado e logo para marcar o melhor jogador adversário (tem de aprender a fazer faltas úteis). Foi fundamental nos últimos minutos da partida, Sá Pinto mandou-o acompanhar Devic (um jogador de grande mobilidade), acabando por anulá-lo completamente.

Comentários

Anónimo disse…
Grande eliminatória e grande Sporting!Quero fazer um apelo: É preciso que os sportinguistas apoiem o Sporting tornando-se sócios (custa menos do que um café por dia!) e assinem o jornal do nosso Clube (75 Cêntimos por semana...)E este não diz mal do Sporting!Todos ao aeroporto às 5:30 m, eu vou lá estar! S.Leoninas.
Parecem-se excessivas as notas sobre os centrais (Polga esteve muito bem) e Neto. Este último foi importante nas compensações e dobras.

Jogo difícil. Terreno, adversário e poucas soluções de recurso fizeram que assim fosse.

Estamos lá!

(o blog já está adicionado)
anonymus disse…
O grande problema de alguns adeptos (e parece que também do detentor do blogue) é que começam a idealizar equipas e a criar simpatias por certos jogadores e depois se essas equipas e esses jogadores não são os escolhidos, acabam por atacar a competencia dos técnicos, que eles não formaram a equipa com este ou aquele jogador, porque não percebem nada de futebol.São assim os convencidos, os tudólogos, que cheios de certezas e sem se aperceberem dos seus limites(esquecendo-se da razão dos outros, que têm a vantagem de estar por dentro dos problemas das equipas e de conviver com elas todos os dias), que depois com a arrogancia e a jactância que lhes são peculiares, disparam para todos os lados, atingindo assim jogadores, técnicos e dirigentes.

Santa paciência para ler e ouvir estes pretensiosos.