Grupo G : Análise



Portugal – Todos os portugueses tinham o “Feeling” que este ia ser o ano de Portugal, e o sonho ainda não morreu. Depois de um primeiro jogo muito fraco, veio uma das maiores goleadas em campeonatos do mundo: 7-0! Na última jornada, só um descalabro total eliminaria Portugal. Proporcionou momentos de bom futebol, bons golos e boas combinações. Destaque para Fábio Coentrão;

Brasil – Só pelo nome é candidato à vitória. As expectativas vinham muitas altas e logo à segunda jornada os brasileiros asseguraram a qualificação. Ainda não se viu o melhor Brasil mas já se viu o suficiente para assumir que é realmente candidata ao título. No primeiro jogo, só um golaço de Maicon conseguiu quebrar a muralha norte-coreana e no segundo apareceram os golos em grande quantidade. Destaque para Luís Fabiano;

Costa do Marfim – Tem o azar de calhar sempre no “grupo da morte”. Em 2006, estava incluída no grupo da Holanda e Argentina, sendo que as suas expectativas desmoronaram logo cedo. Este ano foi Portugal e Brasil. Nunca viraram a cara à luta, mas o seu futebol (muito físico) é claramente inferior ao de Portugal. Destaque para Drogba;

Coreia do Norte – Chegou a África do Sul como uma perfeita desconhecida a nível futebolístico. De facto, mostraram o porquê: futebol sem ideias, muito chuto para a frente, etc. Tiveram o seu momento de glória quando marcaram ao Brasil. Não houve nenhum jogador que se destaca-se, pois o colectivo foi superior.

Resultados:

Costa do Marfim 0 – 0 Portugal

Brasil 2 – 1 Coreia do Norte (Maicon e Elano; Ji Yun Nam)

Brasil 3 – 1 Costa do Marfim (Luís Fabiano (2) e Elano; Drogba)

Portugal 7 – 0 Coreia do Norte (Meireles, Simão, Hugo Almeida, Tiago (2), Liedson e Ronaldo)

Portugal 0 – 0 Brasil

Coreia do Norte 0 – 3 Costa do Marfim (Toure, Romaric e Kalou)

Classificação:

1º Brasil – 7 Pontos
2º Portugal – 5 Pontos
3º Costa do Marfim – 4 Pontos
4º Coreia do Norte – 0 Pontos

Comentários