Um olhar sobre a partida

Primeira jornada, primeiro ponto. Tendo em conta a exibição do Sporting, podemos dizer que o resultado foi enganador, basta ver as estatísticas de remates, posse de bola, etc. Mas o futebol não é justo, tanto podíamos ter ganho 4-1 como ter perdido 0-2, houve oportunidades que bastassem para estes resultados. Depois de dois anos de seca, com uma boa exibição ali ou aqui, o bom futebol parece estar de volta a Alvalade, embora por vezes seja demasiado trapalhão (nem todos os jogadores conseguem fantasiar…). O Sporting entrou a pressionar nos últimos 40 metros, com um futebol rápido mas por vezes previsível. As oportunidades iam-se acumulando, e o golo não surgia (pelo meio houve um penalty não assinalado a nosso favor), até que, contra a corrente do jogo, Wilson Eduardo marca um golo de belo efeito. O tempo foi passando, a ineficácia continuava. Fantasmas do passado assolavam Alvalade, até que Postiga mete a bola dentro da baliza (num golo legal) e o árbitro anula por suposto fora de jogo. O festival de oportunidades continuou, até que Izmailov coloca o resultado em 1-1, num lance de insistência. Depois disso, o sentido de jogo foi apenas um, com a vitória a ficar cada vez menos ao alcance leonino. Carlos Xistra apita para o final do jogo quando o Sporting ia para o ataque, o que, curiosamente, simbolizou a sua actuação: impediu o Sporting de ganhar.

Rui Patricio (5) – No lance do golo não fica isento de culpas, devia ter atacado a bola e não ficar a espera que chegasse a ele. Foi traído pela rapidez do relvado, quando a bola bateu na relva ganhou uma velocidade incrível.

João Pereira (7) – Capitão, bastante em jogo e pela primeira vez vi-o contido a refilar com o árbitro. Mão de Domingos? Talvez. Grande entendimento com Jeffren, não baixou de ritmo quando o espanhol saiu, mas servir quem não marca é complicado não é João?

Polga/Rodriguez (6) – Jogo sem sobressaltos, a dupla de centrais só pecou na construção de jogo. Numa equipa como o Sporting, os centrais têm de saber fazer jogo, e não estar a passar um ao outro consecutivamente.

Evaldo (6) – Exibição positiva do brasileiro, também fruto da menor acutilância ofensiva do adversário. Esteve agressivo na disputa de bola e deu alguma profundidade. Pena aquelas faltas infantis.

Rinaudo (8) – Que jogador fantástico. Nem tenho palavras para descrever a exibição do argentino, é o patrão do nosso meio-campo. Está em todo lado e ainda tentou a meia distância.

Schaars (6) – Exibição apagada do holandês, não deu a imaginação necessária ao nosso meio-campo. Esteve em dia não na marcação dos livres.

André Santos (6) – Não acompanhou Wilson Eduardo no lance do golo, mas para além disso não comprometeu. Sacrificado numa altura em que era necessário maior pendor ofensivo.

Jeffren (7) – Ilusionista, dos seus pés nunca se sabe o que pode sair. Mostrou bons pormenores e esteve perto de marcar. Saiu lesionado, mas não há dúvida que será titular.

Yannick (3) – Mau, péssimo.

Postiga (4) – Falha, falha e falha. Aquele remate displicente a entrada de área levou-me ao desespero.

Rubio (5) – Muito acarinhado em Alvalade (já tem cântico), entrou na segunda parte. Primeira conclusão: joga melhor sozinho no ataque.

Izmailov (8) – Não fossem as lesões, seria um dos melhores jogadores da Europa. Joga sempre em ritmo elevado, e transmite esse comportamento aos atletas. Não desistiu no lance do golo.

Capel (7) – Deu profundidade e tem qualidade técnica assinalável, tirar-lhe a bola só mesmo em falta. Quando tiver em boas condições físicas, deverá ser titular.

Emprestados - Wilson Eduardo mostrou ontem que tem capacidades para integrar o plantel do Sporting, tendo em conta a presença de jogadores como Yannick. Mexer e João Gonçalves estiverem bem, anulando muito lances de ataque dos leões.

Comentários

Anónimo disse…
Jogámos bem, Temos equipa! Falta afinação. Marcámos 2 golos limpos o Olhanense só um...E o resultado final foi 1-1 (?!). Para jogar só com 1 ponta lança este tem que ser matador o que não é o caso do Postiga (apesar de ser esforçado), Yanick muito fraquinho e Schars um jogador banal(e ao contrário do foi dito até agora) fraquissímo nas "bolas Paradas". OldLionKing. S Leoninas.
Nando disse…
Tena a certeza que viste o jogo?

Ou fizeste esta analise aos jogadores por aquilo que leste e ouviste?

Eu pergunto isto só por o seguinte:

Rui Patricio (5) – No lance do golo não fica isento de culpas, devia ter atacado a bola e não ficar a espera que chegasse a ele. Foi traído pela rapidez do relvado, quando a bola bateu na relva ganhou uma velocidade incrível.

Diz-me lá quando é que a bola bateu no relvado?

Bem é verdade que ela bateu no relvado mas, quando isto aconteceu, já há muito tinha passado a linha de golo.

Por isso eu gostava de saber o que é que a rapidez do relvado teve a ver com o golo e como é que o Patricio podia ter atacado a bola.

Conta lá que é pra todos nós sabermos.
Anónimo disse…
Shaars, não é banal, de maneira nenhuma, agora o rinaudo, esse enche-me as medidas, um idolo, um touro. Jefren é craque, e capel a rever.
Quanto ao resto, o custume
Anónimo disse…
Discordo totalmente quanto às culpas de Rui Patricio, que foram nenhumas,e Schaars que não esteve assim tão mal. MVP: xistrema.
Jorge
M. Oliveira disse…
Também acho incrível atribuir culpas no golo ao Rui Patrício, V. viu mal o lance, ponto final. Não se entusiasme muito com o Wilson Eduardo, aquilo saiu como saem grandes golos uma vez na vida a qualquer nabo: no ano passado foi suplente do Leandro Tatu no Beira Mar até este sair em Janeiro e apenas foi titular de início em 5 jogos durante toda a época e fez desesperar os adeptos do Beira Mar com as suas perdidas incríveis de baliza aberta...Digo-lhe eu, aveirense, sócio do Sporting e do Beira Mar...