Um olhar sobre a partida

Com seis vitórias outros tantos jogos, o Sporting procurava ontem em Famalicão chegar ao sétimo triunfo consecutivo, algo que não acontecia desde os tempos de Carlos Carvalhal. Seria de esperar um jogo de sentido único, com o Sporting a assumir o favoritismo e a mostrar o porquê de ser considerado um dos grandes nacionais. Os minutos iniciais pronunciaram uma noite de goleada, podendo aos 15 minutos a equipa leonina já estar a vencer por mais de três golos. Contudo, os minutos iam passando, e, não obstante as constantes oportunidades, o golo não surgia e as coisas iam-se complicando. Ao intervalo houve mudanças na defesa, fruto de variados problemas físicos (eu avisei). A tona do jogo foi a mesma, com o Sporting a criar perigo junto da baliza minhota mas com o Famalicão a causar lances perigos que Boeck resolveu eficazmente. A chave do jogo foi encontrada por volta dos 60 minutos, quando Matias sofreu uma grande penalidade, convertida irrepreensivelmente por Wolfswinkel. Minutos depois, novo golo do holandês num excelente golpe de cabeça. Até ao final manteve-se o controlo leonino (com um penalty por assinalar sobre Rubio pelo meio), apesar da turma famalicense ter cheirado o golo.

Sinal +

- É impossível não destacar Wolfswinkel! Em sete jogos leva oito golos marcados, podendo mesmo ser considerado a meior figura deste leão revitalizado. Por este andar, a cláusula de 22 milhões vai ser um brinquedo para muitos clubes com massa (ate Dezembro é para renovar!)

- Boeck mostrou ontem que é uma opção muito válida para subsitituir Patrício. Aliás, se aquela saga de erros continuasse, cheira-me que o brasileiro ia ser titular…

- Mais um excelente jogo do eléctrico Capel. Grande disponibilidade física e entrega ao jogo. Um ídolo na plena definição da palavra.

- Foram 6000 pessoas que estiveram ontem em Famalicão e parecia que o Sporting jogava em casa. Publico incasável, sempre a apoiar os jogadores e a vibrar com qualquer jogada. Adoro aquele cântico “Isto é o Sporting la la la la”

- Destaque para a equipa do Famalicão, que deixou o autocarro à porta do estádio e manteve uma postura superior à de muitas equipas da primeira divisão. Dignificaram o clube e, acima de tudo, fez-se Taça!

Sinal –

- Aquela claque do Famalicão é ridícula! Constantes ofensas a árbitros e jogadores, com petardos desnecessários durante o jogo, a fazerem lembrar os momentos ridículos que protagonizavam nos anos 90. Adeptos destes, não obrigado (aposto lua havia ainda algum vimaranense aziado lá pelo meio).

- Em alguns locais do estádio o piso era cascalho. Era muito fácil pegar em pedras e mandar para dentro de campo. É que já nem falo do relvado...



Comentários