Um olhar sobre a partida



Uma vez mais tivemos o prazer de ver a renascida face do Sporting. Sem espectacularidade, até pela singularidade do jogo, hoje verificou-se uma exibição de bom nível, em todos os aspectos. O Sporting entrou dando ajuste às expectativas - dominador. Numa clara tentativa de segurar qualquer ponto possível, tal como aconteceu com o Zurique, os forasteiros viram complicada a sua missão aos 38 minutos, quando Wesley, antigo jogador do campeonato português, numa clara agressão a João Pereira, fez jus à sua expulsão.
Parecia uma boa oportunidade para o Sporting encarecer a tónica ofensiva que estava a realizar até então. Tal poderio ofensivo teve provento aos 43 minutos, quando Evaldo, impetuosamente, soube subir no terreno e dar seguimento ao ataque leonino, finalizando um passe do chileno que protagonizaria, ao fim de contas, uma exibição de jubilo para os cerca de trinta mil espectadores.
A segunda parte chegou e nada se alterou. Mesmo rumo de jogo, mesmo ritmo.
A vinte minutos do fim, Matias, que já tinha ameaçado com um grande remate instantes antes, finalizou com grande apuro na cara do guarda-redes, dando seguimento a um hábil lance individual de Capel.
Domingos substituiu Wonswinkel, bastante trabalhador até então, para dar minutos a Bojinov e retirou Capel, oferecendo lugar ao estreante André Martins.
Até ao fim, nada mudou, enaltecendo-se um remate ao poste de Schaars.


Sinal +

- Exibição muito consistente de Schaars que se evidenciou, como tem sido hábito, pela sua leitura de jogo e destreza na ocupação de espaços.
- Sinal claramente positivo para o homem do jogo, Matías, que assim oferece uma boa dor de cabeça ao treinador.
- Evaldo, fez um jogo de bom nível, tanto defensiva como ofensivamente. Agora tem que fazer pela vida. Que seja para continuar.
- Muita vivacidade no jogo de Capel, dando enúmeras dores de cabeça aos defesas. Desiquilibrador.

Sinal -

- Ao contrário de Capel, a passividade de Carrilo, que, sendo portador de inquestionável qualidade, passou ao lado do encontro.
- Pereirinha, tal como Carrillo, com pouca agressividade no ataque. Com mais ambição podia fazer grandes exibições.


Que a onda verde continue!

Comentários

patanisca disse…
Bom, se me disseres que o carrillo se agarrou demasiado à bola e, em algumas ocasiões, lhe faltou a inteligência de a largar na altura certa, ok. Agora acho aquele gajo tudo menos passivo. Quando ele entrou a coisa mexeu e puxou mais o jogo do sporting para o lado direito
Anónimo disse…
Penso que Schaars nao fez assim um jogo tao bom como dizes e Carrillo precisa ainda de confiança, já para nao falar no promenor dele para o segundo golo!

David Alves
Marco disse…
O Carrillo so tem influencia directa no 2º golo. Sinceramente o Carrillo Passivo viste bem aquela cueca. Falar disso do Bojinov é que é normal agora de um jovem de 19 anos que ainda está a adaptar-se é muito estranho.
Caga-Boi disse…
Carrilho, pouca agressividade no ataque?!
O Sr. não percebe nada de futebol!
O rapaz pode ser ainda algo inconsistente, mas o que não lhe falta é agressividade atacante.

Repito:
O Sr. não percebe puto da poda...