Um dia cheio de declarações dos nossos jogadores e ainda... o derby


  • Ricky van Wolfswinkel, foi homenageado perante 23 mil adeptos do Utrecht pelos dois anos ao serviço do clube e, numa espécie de discurso de agradecimento, começou por falar no Sporting: «Fiz a escolha certa. O jogo com o Nacional, não foi o nosso melhor, mas ganhámos e isso é o mais importante. Podíamos ter feito o segundo golo e resolvido logo tudo, mas não conseguimos. Mas ganhámos». Em relação ao clube holandês que representou, o avançado disse: «É o meu clube do coração na Holanda. Apesar de ter passado aqui apenas dois anos, a verdade é que me sinto em casa», confessou.
  • Daniel Carriço, esteve presente numa iniciativa de solidariedade no hospital D. Estefânia, em Lisboa, e aproveitou para esclarecer que está pronto para jogar “tanto a médio como a defesa”. “Sempre que for preciso e sempre que for útil para a equipa vou estar presente. Não é a primeira vez que desempenho essas função e assim que o treinador entender.Também já joguei noutras posições e tento dar o melhor de mim», acrescentou.
  • Diego Rubio, envolvido na mesma acção social que Carriço, disse que se sente cada vez mais adaptado e que aguarda com expectativa uma oportunidade como titular no Sporting.
  • André Santos, em entrevista ao Jornal Sporting, nas bancas amanhã, relembrou que o objectivo é a luta pelo título e que «em Coimbra não podemos perder pontos». Acrescentou ainda que o ambiente que se vive na equipa é de união.
  • Tribunal: Um adepto do Benfica, detido com uma tocha incendiária foi punido com uma pena de dois anos e seis meses, suspensa por igual período, enquanto o apoiante do Sporting, membro da claque leonina Directivo Ultras XXI, foi condenado com uma pena de dois anos, suspensa por igual período, por ter sido apanhado com um petardo de fabrico artesanal antes do início do jogo. Os dois adeptos foram ainda condenados na pena assessória de interdição de entrada em recinto desportivo pelo período de um ano e seis meses, para o adepto benfiquista, e de um ano, para o sportinguista, ficando obrigados a comparecer no posto policial da sua área de residência no dia e na hora em que joguem as respectivas equipas. (in abola.pt, 12 de Dezembro)

Comentários