Um olhar sobre a partida

Sinal +

MVP: Wolfswinkel_ Na primeira parte este apagado, fruto do autocarro azul. Na segunda parte fez jus à fama de goleador e numa jogada de alto nível colectivo finalizou com grande qualidade. Esteve perto de bisar, mas foi a assistir para o golo de Schaars que se voltou a evidenciar. Um jogo à sua medida, de grande trabalho colectivo e de inteligência táctica.

Patrício_ Não fosse o seu bom desempenho na 1ª parte e estava agora aqui a lamentar a eliminação da Taça. Além das grandes defesas, esteve bem a sair dos postes, tendo funcionado por vezes como um libero. De realçar que, num lance em que Onyewu sem intenção coloca a bola em Rui Patricio, o português cabeceou a bola para fora num claro trabalho de casa que tem sido feito para corrigir uma limitação que no inicio da época fez tremer Alvalade.

Carriço_ como Domingos afirmou, nos treinos Carriço tem tido treino específico no que à coordenação do jogo ofensivo diz respeito. Esse trabalhou onde surtiu resultados, com o antigo capitão a recuar muitas vezes para pegar no jogo. Além disso, fez vale o seu físico no miolo, ganhando muitas bolas na disputa, sendo que o lance do primeiro golo tem origem numa recuperação de bola sua.

Schaars_ sempre em média/alta rotação, o holandês esteve algo afastado da partida na primeira parte, sendo atropelado pelo autocarro azul. A dinâmica esteva lá, o espaço para colocar a bola é que não era o mesmo dos outros jogos. Na segunda parte teve maior liberdade, está no lance do primeiro golo e marcou o segundo, numa execução cheia de classe.

Sinal –

Publico_ A hora e o dia da semana não são desculpa para a presença de apenas 18 mil adeptos (pior lotação da temporada). Se a equipa não pratica bom futebol, não vão ao estádio. Então agora, com uma equipa a lutar por todas as competições e a praticar um futebol agradável, qual é a desculpa para não irem a Alvalade?

Autocarro_ antes de mais elogiar a estratégia de José Mota, quer queiramos quer não esta era a única maneira de alcançar algo positivo em Alvalade. Porém, numa competição onde a cada partida se procura seguir o lema da prova (a festa da Taça), foi com grande desprazer que vi logo aos 2 minutos os 11 homens do Belenenses a jogar no buraco. São este tipo de estratégias que não trazem adeptos, interesse ao futebol. Imaginando que o Belenenses tinha passado, seria agradável ver uma equipa a jogar assim no Jamor?

Anti-jogo_ com o árbitro a apitar à mínima falta, e a parar o jogo quando o Sporting tentava marcar rapidamente as faltas, o jogo estava a favor dos do Restelo. O guarda-redes aos 10 minutos já atrasava os pontapés de baliza, mas mais grave que isso é ver em cada arrancada do Capel um puxão ou algum tipo de canelada para parar o espanhol. Isto aconteceu pelo menos umas cinco vezes, e só numa delas houve mostragem de cartão amarelo.



Comentários

Anónimo disse…
A parte negativa do jogo foi ver a ! quase nulidade " de um defesa do Sporting chamado Polga!
Desculpem os defensores deste senhor mas so foi o maior da aldeia nos dois primeiros anos..onde ate um pastel chamado luisao era chamado à seleçao e o Polga nao..jogo de empresarios!

Nesta equipa a funcionar e a jogar bem, um elemento como o Polga passa despercebido, significa isto q se a equipa jogar bem e vencer o jogo, só nos recordamos das coisas " mais boas " do q as " menos boas " do Polga nesse encontro..
Mesmo nos jogos em q escreveram nos jornais q foi dos melhores e tal..nao me lixem, jogou tanto nestes ultimos jogos como neste contra o belenenses.." comido " várias vezes, deixa se antecipar como um patinho e coisa e tal!!
o certo é q vem aí novo defesa central..e quem sairá? pois tá claro...