Público pouco público

Ao que parece o jornal Público decidiu divulgar algumas fotografias violentas e invasivas, segundo dizem...

Para começar, tenho de agradecer a este jornal pois, já tive oportunidade de visitar estas instalações antes da nova e bonita decoração e estou muito contente por ter a oportunidade de ver como se encontram agora. Bem mais acolhedoras, diria. 


Passemos agora à parte em que falamos da parte da inconveniência por parte do Público. Caso o jornal não saiba, as fotografias encontram-se no corredor desde o início desta mesma temporada. Ou então se calhar até sabem muito bem, provavelmente as fotografias até foram tiradas nessa mesma altura e especialmente bombardeadas na véspera do clássico com o Porto, a pedido do senhor do norte. O que me leva a pensar que o Público teve um comportamento pouco público, talvez até muito privado.

Em termos legais, sinceramente não sei se esta divulgação passa no exame. Ora vejamos: o Estádio de Alvalade é propriedade privada de uma identidade, cujo o nome é Sporting Clube de Portugal. É verdade que se trata de um lugar para a recepção de colaboradores de outros clubes, o que não impede que a decoração seja feita à maneira do Sporting. Não tenho muito conhecimento nesta matéria, mas o Público não deverá passar isento pela divulgação que fez do património clube, pela data da notícia e pela eventualidade desta data ter sido escolhida por alguém.

Eu só me pergunto: estas imagens eram suposto criar algum tipo de instabilidade em Alvalade? É que se o objectivo era esse, não foi alcançado, a meu ver. Aliás, até faria mais sentido terem-nas publicado depois do jogo ou noutra altura que não esta, porque daria muito mais que falar.

Se tivessem publicado também as imagens do corredor de acesso ao balneário leonino, onde já estive presente, todos os sportinguistas iriam ficar orgulhosos daquele corredor. E mais não digo, visto que este blogue é público.

Comentários

DM disse…
Caro António...

Por onde começar...

O Público teve acesso às instalações do SCP muito provavelmente porque andou a preparar algum artigo... Quiçá até mesmo, única e exclusivamente, sobre o estádio. Seja como for, nunca na vida a divulgação das imagens seria ilegal, visto que podemos todos assumir que se o Público foi permitido nessa zona do estádio (vedado ao habitual turista), também lhe terá sido dado liberdade para tirar fotografias sem qualquer tipo de restrições. Caso estivessem sob alguma falha a nível judicial, muito provavelmente o SCP já teria posto o Jornal em tribunal (algo que não aconteceu).

Relativamente ao timing, acho que podemos todos concordar que de facto a altura não foi de todo a mais oportuna, no entanto, sinto-me tentado em dizer que esta não foi propositadamente feita em vésperas de um clássico, com o intuito de provocar qualquer tipo de conflito. Verdade seja dita, mesmo que assim fosse, pouca relevância teria dado o conteúdo das imagens, que quer queiram, quer não, representam uma realidade/valores que em nada deveriam estar associados a uma instituição que se diz prezar com bom nome.

Independentemente da saudação fascista ou das tatuagens, que tendo em consideração o historial das claques do SCP que foram dissolvidas bem à pouco tempo - pela sua ligação a neo-nazis, fascistas e skinheads - acabando por funcionar como agravante... as pessoas que dão a cara - e mesma aquelas que não a dão (por estarem tapadas ao melhor estilo criminoso) são motivos suficientes para provocar polémica e preocupação.

Uma direcção tomar uma decisão destas é um caso totalmente insólito. Eu vivo num País conhecido não só pela sua qualidade futebolistica, mas também pelo seu componente "Hooliganesco", chamemos assim. Pouco deve haver que os choque... mas acreditas que as pessoas a quem confrontei com esta noticia... não queriam acreditar? Mais do que dar má fama ao SCP, dá má reputação ao País, no sentido em que passa uma imagem onde parece que tudo aqui é permitido... sem qualquer tipo de censura ou critério!

É de um mau gosto tremendo e de uma enorme falta de sensibilidade...

Querem representar a claque Leonina? Acho óptimo que assim o façam. Mas por amor de Deus! Não havia melhores imagens? Que tal pessoal a festejar um golo? A levantar uma bandeira ou um cartaz no ar? Porque colocar "escumalha" (tratemos as coisas pelo nome) nas paredes da "vossa" casa? Farias isso na tua?! Não faz qualquer sentido!
O factor "casa" e o querer intimidar o adversário não deveria sequer ser aplicado. Num tempo em que a FIFA e UEFA tanto lutam para promover paz e fairplay, é este o tipo de conduta que queremos promover? Bem sei que em Portugal, os denominados "Grandes" jogam sujo para ter alguma vantagem! Mas se um faz, não quer dizer que isso confira o direito a outros de o fazer... Mas mesmo assim... Neste caso, vocês tem mais a perder do que ganhar! As equipas que por lá passam devem se estar completamente nas tintas para aquelas imagens! Eles tem de lidar com a realidade em campo e fazem disso o seu dia-a-dia... Portanto dúvido que as paredes sejam um problema! O preço a pagar pela vossa tentativa "frustrada e pouco eficaz" foi demasiado elevado... pelo mau nome que vos deu, mas também pela provável multa que irão pagar. E sabes bem de onde esta multa vem... mas para os que não tão a par, eu explico:
É de realçar que depois disto tudo, o SCP surge com um comunicado, em muito completamente incoerente e totalmente desnecessário... excepto pela parte em que menciona que tanto a Liga como a UEFA aprovaram a decoração.

Quando li isto confesso que pensei para mim "tenho mais é que estar calado. Se eles não levantaram problemas, não há nada a fazer". Pois bem... haverá maior vergonha do que ser apanhado a mentir?! Foi mesmo isso que se passou! O Sporting divulgou um comunicado oficial que era mentira! A imagem já não era a mais positiva e depois surge isto?!
DM disse…
(cont)
Não se pode (nem se deve) defender o clube a todo o custo. Há que colocar um pouco de nós nos argumentos que apresentamos e naquilo que defendemos. Já muitas vezes condenei atitudes do meu clube... Por muito que custe... há coisas que são "senso comum".